Suspeitos de agiotagem, pistolagem e lavagem de dinheiro são presos pela PF; grupo movimentou R$ 130 milhões em 5 anos

fede
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on google
Share on twitter

Por g1 PE

Polícia Federal (PF) em Pernambuco cumpriu, nesta terça (9), nove mandados de prisão e 14 de busca e apreensão, em uma ação contra suspeitos de agiotagem, pistolagem e lavagem de dinheiro, em três estados. Entre os alvos estão um empresário, um policial federal e um militar do Exército. Em cinco anos, o grupo movimentou R$ 130 milhões.

A Operação Curica foi realizada no Recife, Serra Talhada, no Sertão Pernambucano, além de Sorocaba (SP) e Campo Grane (MS). O nome da ação é uma referência ao apelido de um dos envolvidos na organização.

Segundo a PF em Pernambuco, os agentes também cum mandados de sequestro de bens móveis e imóveis. Nas ações, foram apreendidos armamentos, munições, além de relógios e bolsas de luxo.

Os agentes também apreenderam veículos, valores em espécie, cheques bancários e equipamentos de informática.

Por meio de nota, a PF informou que a investigação teve início em 2020. A meta da Operação Curica era apurar o envolvimento da organização comandada por um “suposto” empresário pernambucano.

Esse homem, um dos alvos da operação desta terça, atuava nos setores de hotéis e motéis, bem como postos de combustíveis.

Ainda segundo a PF, os R$ 130 milhões foram movimentados em contas bancárias de seus integrantes e de terceiras pessoas “cooptadas com essa finalidade”.

Essas pessoas, disse a PF, seriam “laranjas” e não tinham como comprovar a origem lícita dos valores.

Armas e munições foram apreendidas em operação da Polícia Federal — Foto: PF/Divulgação

“Também foram identificadas diversas pessoas jurídicas criadas pela organização com a única finalidade de facilitar a lavagem dos valores obtidos com as práticas ilícitas”, informou a PF, no comunicado.

Os mandados foram cumpridos nos endereços dos envolvidos. Todos foram alvo de prisão temporária. Os nomes deles não foram divulgados.

Detalhes

 

Em entrevista disponibilizada pela PF, o delegado federal Márcio Tenório Wandreley disse que seis prisões foram feitas em Pernambuco, duas no interior de São Paulo e uma em Mato Grosso do Sul.

“Todos foram levados para unidades prisionais desse estados. A gente ainda pode ter desdobramentos, a partir do material apreendido”, acrescentou.

Ainda segundo o delegado, o militar e o policial federal tinham envolvimento na lavagem de dinheiro da organização, que tinha sede em Pernambuco. A principal atividade era a prática de agiotagem.

O crime de usura, como é tipificado no Códio Penal, é o “ato de cobrar juros, e outros tipos de taxas ou descontos, superiores aos limites legais, ou realizar contrato abusando da situação de necessidade da outra parte para obter lucro excessivo”.

“Hotéis, motéis e postos de gasolina são bastante usados para lavar o dinheiro de atividades ilícitas e para inserir dinheiro no sistema financeiro oficial”, observou.

TELEFONES

(87) 3873 1857

(87) 9 9642-7899

[email protected]

BR 316, KM 21,7 – S/N, Vila Conceição — Araripina – PE