Polícia Científica amplia coleta de material genético para encontrar pessoas desaparecidas

instituto-de-genetica-forense-eduardo-campos-foto-sds-pe
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on google
Share on twitter
Por G1 PE

Uma campanha nacional para ampliar a coleta de DNA e incluir, nos bancos de perfis genéticos da Polícia Científica, informações que facilitem a localização de pessoas desaparecidas foi lançada nesta terça-feira (25), o Dia Internacional das Crianças Desaparecidas.

“Todas as pessoas que estiverem vivenciando esse problema com um parente desaparecido, seja de agora ou de tempos atrás, seja criança ou não, podem procurar a Polícia Científica para doar amostra biológica”, afirmou a chefe da corporação em Pernambuco, Sandra Santos.

Parentes de primeiro grau (pai, mãe, irmãos e filhos) de desaparecidos devem agendar o atendimento pelo telefone (81) 3183-5388 e escolher o local mais próximo para realizar a coleta do material, que pode ser feita em todas as 12 unidades da Polícia Científica do estado.

“Esses familiares devem primeiro procurar uma unidade da Polícia Civil para fazer um boletim de ocorrência. Munido desse boletim, eles agendam e procuram qualquer unidade da Polícia Científica do estado”, disse a chefe da corporação.

Nesses locais, deve ser colhida uma pequena amostra de saliva do familiar. Também é necessário levar um objeto pessoal da pessoa desaparecida, como por exemplo uma escova de cabelo, escova de dente ou boné.

“Não interessa o tempo que foi usado, desde que você tenha certeza que esse objeto pessoal não foi usado depois por outra pessoa”, disse Sandra.

Segundo a Polícia Científica, após a coleta do material, os peritos criminais analisam a amostra e fazem um cadastro do perfil genético no banco de dados. Em seguida, é realizado um cruzamento de dados do banco, que deve ser atualizado diariamente com o perfil genético de pessoas vivas desconhecidas e de pessoas falecidas e não identificadas.

Esse cruzamento de informações permite que seja identificado um possível parentesco entre parentes e pessoas cadastradas. Segundo a Polícia Científica, o resultado deve ser informado à delegacia que investiga o desaparecimento ou ao Instituto Médico Legal (IML). Por fim, a família deve ser contactada.

Locais de atendimento

No Grande Recife, os pontos de atendimento ficam localizados no IML Antônio Persivo Cunha, no bairro de Santo Amaro, no Centro da capital pernambucana; no Instituto de Genética Forense Eduardo Campos, em Jaboatão dos Guararapes; e no posto do IML de Paulista.

No interior do estado, as unidades da Polícia Científica ficam localizadas nas cidades de Nazaré da Mata e Palmares, na Zona da Mata; em Caruaru e Garanhuns, no Agreste; e em PetrolinaArcoverdeOuricuriSalgueiro Afogados da Ingazeira, no Sertão.

TELEFONES

(87) 3873 1857

(87) 3873 1366

[email protected]

BR 316, KM 21,7 – S/N, Vila Conceição — Araripina – PE