Perseguidos, servidores municipais de Araripina têm que escolher entre comer ou comprar remédios

20246135_488384214838192_5286794142924122522_n
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on google
Share on twitter

Na entrevista concedida ao sistema grande serra de comunicação, a presidente do SIMA, Viviane Souza, destacou os prejuízos e as perseguições que a classe vem sofrendo durante a gestão atual, que segundo ela, não tem diálogo com as categorias. Ainda segundo a representante da entidade, os servidores de Araripina têm que escolher entre comer ou comprar remédios devido a precarização do trabalho e a desvalorização salarial.

Acompanhe a entrevista na íntegra:

“Estamos a quatro anos sem receber reajuste, o que nos é garantido por lei, tudo subiu e o salário é o mesmo de 2016, não dá para continuar com essa situação degradante”. Disse Viviane.

Outra denúncia feita pelos servidores em relação a atual gestão, foi a falta de itens básicos e de primeira necessidade para realizar suas atividades, segundo o agente de endemias, Jeferson, falta álcool em gel, luvas, máscaras, e outros itens. Perguntado se eles tinham cobrado da gestão, o servidor Jefferson disse que até agora a gestão por meio de ofício alega um par de botas que deu no ano de 2018. “Temos uma gestão de perseguição e de pouca ação disse Jeferson” .

Viviane Souza e o agente de endemias Jeferson, concederam entrevista para fazer uma avaliação da audiência pública que aconteceu de forma remota na tarde de ontem, 15/09/20, com vereadores do município, representantes do SIMA, o promotor de justiça Dr. Fabio que recebeu todas as demandas.

 

 

 

TELEFONES

(87) 3873 1857

(87) 3873 1366

[email protected]

BR 316, KM 21,7 – S/N, Vila Conceição — Araripina – PE