PEC que amplia auxílios do governo é aprovada no Senado

20220630204108170077u
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on google
Share on twitter
Após discussão no Plenário do Senado Federal, foi aprovada em dois turnos a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 1/2022. A proposta encabeçada pelo Governo Federal amplia o valor do Auxílio Brasil e do Vale-Gás, cria o voucher-caminhoneiro e benefícios para taxistas, concede aos estados compensações a alíquota do Etanol, fomento à gratuidade no transporte público para idosos e suplementação financeira para o Alimenta Brasil. O custo de todos os benefícios será de R$ 41,25 bilhões aos cofres públicos.
O relator Fernando Bezerra (MDB-PE) informou que o montante virá de créditos extraordinários. As medidas aprovadas significam uma vitória para o governo de Jair Bolsonaro, que busca a reeleição. Todas elas estarão vigentes apenas até dezembro de 2022, em caráter emergencial. Após votação no Senado, a medida ainda precisa ser analisada no Plenário da Câmara dos Deputados.
A intenção é que todos os auxílios já sejam pagos a partir de agosto, visando angariar apoio para o pleito de outubro. Todas as propostas vinham originalmente da PEC nº1 — apelidada, pela equipe econômica de Paulo Guedes, de “PEC Kamikaze”. Foi apensada a ela a PEC 16, de autoria do líder do governo no Senado, Carlos Portinho (PL-RJ).
Mudanças
Da primeira discussão, na quarta-feira, para o momento da votação, uma série de mudanças no texto da proposta foram feitas pelo relator. A votação foi adiada para que os parlamentares pudessem analisar o texto do relator Fernando Bezerra (MDB-PE).
Dentre as alterações aprovadas pelo Senado estão a expansão do auxílio aos motoristas de táxi, registrados até 31 de maio de 2022, com custo de R$ 2 bilhões aos cofres públicos. Além disso, serão destinados ao Alimenta Brasil, programa de aquisição de alimentos da agricultura familiar, uma suplementação financeira de R$ 500 milhões.
Apesar das controvérsias em torno da medida que declarava estado de emergência por conta dos altos preços dos combustíveis, o trecho foi mantido. O momento eleitoral proíbe a entrega de benefícios para a população, mas há exceção em casos de calamidade pública ou emergência. A brecha foi utilizada na proposta. Com a manutenção do estado de emergência, a única mudança nesse sentido foi a supressão do inciso nº 4, o qual abria margem para interpretação, sem deixar claro os limites concedidos para a destinação das verbas emergenciais. O relator da proposta, Fernando Bezerra anunciou, ainda nesta quarta-feira (29/6), que suprimiria o trecho.

TELEFONE

(87) 9667-7054

[email protected]

Av. Antônio Pedro da Silva, 917 – Centro, Ouricuri – PE, 56200-000