Mulher diz que engravidou sozinha em banheira e marido decide processar hotel

20220221222754114607u
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on google
Share on twitter
Um homem decidiu processar um hotel de luxo no Rio de Janeiro após esposa — supostamente — engravidar “sozinha” em uma banheira de hidromassagem. Tudo aconteceu enquanto o marido estava em uma viagem a trabalho na Europa. Ele passou seis meses fora e quando retornou para casa encontrou a mulher grávida. Como justificativa, ela alegou ter ido a um hotel com a irmã e passado a maior parte do tempo na banheira.
Para dar entrada no processo contra o hotel cinco estrelas, o casal procurou a advogada Lu Lage, que postou um vídeo nas redes sociais revelando o caso. “Esse senhor quer que eu ajuíze uma ação para processar um hotel cinco estrelas no Rio, alegando que ele ficou fora de casa seis meses, a trabalho na Europa, e quando voltou para casa a esposa está grávida. Ele muito bravo, tirou satisfação”, disse a advogada.
“Ela falou: ‘amor, a única coisa que eu fiz de diferente foi quando eu estive no Rio com a minha irmã, fiquei em tal hotel e realmente eu entrei inúmeras vezes na hidromassagem. Então a única chance de eu estar grávida é porque eles não limparam, não esterilizaram a banheira de hidromassagem’”, detalhou Lu.
Com a ação, o marido quer receber uma indenização do hotel para reparação dos danos psicológicos da esposa e que o estabelecimento arque com todos os custos da criança porque “foi irresponsabilidade do hotel não esterilizar a banheira de hidromassagem”.

a não gente kkkkkk
o cliente que ficou 6 meses na Europa, quer processar o hotel pq a esse esposa dele engravidou “sozinha” na banheira de hidromassagem num hotel no RJ pic.twitter.com/Bp32Xg17TG

— ondejacyviu (@JacyCarvalho) February 21, 2022

 
Outra versão
Em um outro vídeo, depois do segundo encontro com o casal, a advogada contou que conversou separadamente com a esposa e ela apresentou outra versão. De acordo com a mulher, a gravidez seria, na verdade, consequência de um estupro. “Eu conversei com ela separadamente, com ele, e depois com os dois. Eu disse a ela que seria uma ação sem nexo algum, como que eu iria processar um homem falando de uma gravidez. Isso seria impossível”, disse Lu Lage, foi aí que a mulher contou outra história.
“Ela disse que foi o meio que ela achou mais tranquilo para que seu marido não ficasse tão devastado, porque na realidade ela estava saindo de um lugar, estava na rua, quando ela foi pegar o carro dela, ela foi arrastada e estuprada. A banheira seria menos doloroso para o marido do que um estupro, pois ele é muito nervoso, se alguém mexesse com ela”, retratou a advogada.
Quando questionada se registrou um boletim de ocorrência, a mulher disse que não procurou a polícia pois estava com vergonha. “Mas ela disse que quer tirar o filho, porque o rapaz é negro, ela é loira e o marido é branco também”, disse a advogada sobre as justificativas da cliente.
Logo após a conversa entre a mulher e a advogada, elas foram conversar com o marido. Nesse momento, a esposa decidiu contar que tinha sido estuprada. “Ele chorou muito, falou que imagina o quanto ela está sofrendo por ter escondido uma coisa tão séria, por isso ela estava arrasada psicologicamente, e escondeu para poupá-lo”, contou Lu Lage.
A advogada explicou para o casal tudo que envolveria uma ação como essa para obter autorização para um aborto. “Eu disse o quão complicado seria essa ação, pois teria que provar. Ele disse que iria conversar com ela, mas que, por ele, ficaria com o filho. Ela quem não está querendo de jeito nenhum”, afirmou Lu.

TELEFONE

(87) 9667-7054

[email protected]

Av. Antônio Pedro da Silva, 917 – Centro, Ouricuri – PE, 56200-000