Moraes diz que autores de ataques antidemocráticos, desinformação e ódio serão ‘responsabilizados’

ALEXAANN
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on google
Share on twitter

Por Guilherme Mazui e Rosanne D’Agostino, g1 — Brasília

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Alexandre de Moraes, afirmou nesta segunda-feira (12) que grupos que promoveram ataques antidemocráticos, desinformação e discurso de ódio nas eleições de 2022 serão identificados e punidos.

Moraes deu a declaração durante pronunciamento na cerimônia de diplomação da chapa eleita em outubro, composta por Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Geraldo Alckmin (PSB).

“Essa diplomação atesta vitória plena e incontestável da democracia contra os ataques antidemocráticos, contra a desinformação e contra o discurso de ódio proferido por diversos grupos que identificados, garanto, serão responsabilizados para que isso não retorne nas próximas eleições”, disse Moraes.

 

O presidente do TSE ressaltou que, nas eleições deste ano, assim como nas anteriores, não houve registro de fraudes e que as urnas eletrônicas são “motivo de orgulho”.

“E mais uma vez, como era de se esperar, ficou constatada a ausência de qualquer fraude, qualquer desvio ou mesmo qualquer problema. Jamais houve uma fraude constatada nas eleições realizadas por meio das urnas eletrônicas, verdadeiro motivo de orgulho e patrimônio nacional”, afirmou Moraes.

Ele afirmou também que, nos últimos anos, a Justiça Eleitoral se preparou para combater ataques contra a democracia e “covardes violências” contra integrantes do Poder Judiciário.

“A Justiça Eleitoral se preparou para garantir transparência e lisura das eleições. A Justiça Eleitoral se preparou para combater com eficácia ataques antidemocráticos ao estado de direito, e os covardes ataques e violências pessoais aos seus membros e de todo o Poder Judiciário”, afirmou Moraes.

O presidente do TSE declarou ainda que, ao longo do processo eleitoral, “extremistas”, “criminosos” e “milícias digitais” disseminaram desinformação e atacaram a imprensa, a Justiça Eleitoral e seus integrantes.

“Os extremistas criminosos atacam a mídia tradicional para, desacreditando-a, substituir o livre debate de ideias garantido pela liberdade de expressão e pela liberdade de imprensa por suas mentiras autoritárias e discriminatórias. Coube à Justiça Eleitoral, estudar, planejar e se preparar para atuar de maneira séria e firme, no sentido de impedir que a ‘desinformação’ maculasse a liberdade de escolha das eleitoras e eleitores e a lisura do pleito eleitoral”, afirmou.

LEIA TAMBÉM

Alexandre de Moraes é aplaudido durante cerimônia de diplomação de Lula no Tribunal Superior Eleitoral — Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

Alexandre de Moraes é aplaudido durante cerimônia de diplomação de Lula no Tribunal Superior Eleitoral — Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

Diplomação

 

De acordo com o TSE, aproximadamente mil pessoas foram convidadas para acompanhar a solenidade de diplomação da chapa Lula-Alckmin.

A diplomação oficializa o resultado das urnas e o fim do processo eleitoral. Além disso, os diplomas habilitam o presidente e o vice eleitos a tomarem posse no dia 1º de janeiro de 2023.

TELEFONES

(87) 3873 1857

(87) 9 9642-7899

[email protected]

BR 316, KM 21,7 – S/N, Vila Conceição — Araripina – PE