Ministra do TSE determina que postagens sobre salário mínimo e benefícios sejam removidas de perfis de Lula e de apoiadores

a_5868_1fbcf885f8f5c9afc9f37188b3f00afc
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on google
Share on twitter

A ministra Maria Isabel Gallotti, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), determinou que sejam removidas 23 postagens de redes sociais do perfil do candidato à Presidência Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e de apoiadores em que afirmam que o governo Bolsonaro teria a intenção de reduzir o valor do salário mínimo, de aposentadorias, de pensões e do Benefício de Prestação Continuada (BPC).

A ministra analisou pedido da campanha à reeleição do presidente Jair Bolsonaro, que afirmou à Corte Eleitoral que as afirmações surgiram a partir de “trechos gravemente distorcidos e descontextualizados de uma fala do ministro da Economia Paulo Guedes“.

Na decisão, Gallotti apontou que o Ministério da Economia informou que o salário mínimo e aposentadorias vão subir, no mínimo, de acordo com a inflação. Por isso, concluiu que houve divulgação de informação falsa.

“No caso em exame, verifico a divulgação de informação falsa a respeito de tema revestido de extrema relevância social, com aparente finalidade de vincular tais medidas drásticas ao Presidente da República, incutindo assim na mente do eleitor a falsa ideia de que os salários e aposentadorias não serão mais reajustados”, escreveu a ministra.

Além das postagens do perfil de Lula, serão retirados também conteúdos publicados nos perfis da presidente do PT, Gleisi Hoffman; do senador Humberto Costa; da deputada Jandira Feghali e Érika Kokay; da CUT Brasil e do PT e de perfis identificados como @thiagoresiste e @tesoureiros.

Salário mínimo

O reajuste do salário mínimo e de benefícios pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) voltou ao centro do debate após vazamento de um estudo do Ministério da Economia para desvincular o reajuste do salário mínimo do índice de inflação do ano anterior.

Após a repercussão negativa, Guedes confirmou o estudo, mas negou que o objetivo seja impedir o ganho real (acima da inflação) dos trabalhadores.

O Ministério da Economia chegou a divulgar duas notas prometendo reajustes, pelo menos, iguais à inflação. O reajuste do salário mínimo pela inflação está previsto na Constituição. O piso é usado como referência para reajuste de aposentadorias de um salário mínimo.

Já o presidente Jair Bolsonaro gravou um vídeo para as redes sociais prometendo reajustar o salário mínimo em 2023 acima da inflação.

TELEFONE

(87) 9667-7054

[email protected]

Av. Antônio Pedro da Silva, 917 – Centro, Ouricuri – PE, 56200-000