Mazinho de Zeca faz cobranças sobre aterro sanitário de Araripina

WhatsApp Image 2020-06-21 at 13.42.29
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on google
Share on twitter

O município de Araripina, localizado no sertão do estado de Pernambuco, possui dados extremamente alarmantes, quando o assunto é o trato com a coisa pública.
De aterro sanitário, com geração de renda para diversas famílias de recicladores, e enquadramento a legislação ambiental, é rebaixada a lixão que causa poluição, doenças as pessoas que moram no entorno e deixa de receber milhões do governo do estado.
O aterro sanitário de Araripina foi inaugurado em setembro de 2007. O primeiro do Sertão do Araripe. O projeto do aterro foi realizado pela empresa pernambucana Locar Saneamento Ambiental Ltda com capacidade para tratar os resíduos sólidos gerados pelo município.


O projeto de construção do aterro sanitário recuperou o lixão municipal que funcionava no mesmo terreno. Esta obra foi orçada em cerca de R$ 700 mil. O aterro seguiu as normas de classificação da NBR 10.004, conjunto de normas criadas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), órgão responsável pela normalização técnica no País, fornecendo a base necessária ao desenvolvimento tecnológico brasileiro.
Além da responsabilidade ecológica e de saúde, o cumprimento da lei sobre os aterros garante a sustentabilidade de inúmeras famílias cadastradas nas associações de catadores que têm sua principal renda oriunda dos recicláveis.

Durante muito tempo o município conseguiu cumprir essa responsabilidade, sendo referência na Região do Araripe.
No entanto, infelizmente, atualmente nosso município voltou a condição de lixão, um retrocesso que representa prejuízos ambientais, sociais e econômicos, tendo em vista que inúmeros recursos financeiros são perdidos pelo fato do município não estar atendendo todas as exigências dos órgãos fiscalizadores sobre o tratamento dos resíduos sólidos.
Desde 2017, vereadores e representantes da sociedade civil cobram da gestão municipal o cumprimento da lei e dos prazos para regularização do aterro sanitário e garantir de volta dignidade das pessoas que trabalham no “lixão” mas não são lixo para serem tratadas com tanto descaso.

O vereador Mazinho de Zeca esteve acompanhando a situação do lixão do Município, e em vídeo gravado, fez cobranças da gestão municipal para solução do problema. Acompanhe o vídeo:

TELEFONES

(87) 3873 1857

(87) 3873 1366

[email protected]

BR 316, KM 21,7 – S/N, Vila Conceição — Araripina – PE