Governo aciona Ministério Público e entra com notícia-crime contra CBTU no caso da queda de muro do metrô que esmagou menina

kemilly
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on google
Share on twitter

O governo de Pernambuco entrou com uma notícia-crime contra a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), nesta segunda-feira (18), para que a Secretaria de Defesa Social (SDS) apure “com agilidade máxima” a queda da placa de concreto de um muro que esmagou uma menina de 8 anos. Esse caso aconteceu na comunidade do Papelão, no Coque, na região central do Recife, no sábado (16).

A notícia-crime é de autoria da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH), que também acionou o Ministério Público de Pernambuco para que o órgão acompanhe a apuração do caso. O governo solicitou que os responsáveis sejam processados criminalmente, “tendo em vista a natureza do fato, uma lesão corporal gravíssima”.

Além disso, a Polícia Civil informou que instaurou um inquérito para apurar o caso. A investigação está sob o comando da Delegacia da Rio Branco, no Bairro do Recife, na área central da cidade, onde o pai de Kemilly, o gari Francisco Lino, prestou depoimento na tarde desta segunda-feira (18).

Acompanhado de uma testemunha do acidente, ele foi ouvido pelo delegado João Britto. Também durante a tarde, uma equipe do Instituto de Criminalística foi ao local onde a placa caiu para fazer uma perícia.

Polícia Civil investiga acidente com menina de 8 anos, no Recife

O acidente ocorreu durante uma festa promovida pela ONG Mão Amiga, para celebrar o Dia das Crianças. Kemilly Kethelyn Lino da Silva está internada em estado grave na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no Hospital da Restauração, no bairro do Derby (veja vídeo acima).

Kemilly, segundo o HR, sofreu politraumatismo. De acordo com os parentes, a menina sofreu fraturas no crânio, na coluna, nos pés e na pelve, onde foi feita uma cirurgia. Ela está intubada, mas chora e reage a estímulos, segundo a mãe da criança.

Questionada, a CBTU informou, por meio de nota, que lamenta profundamente o ocorrido. Também declarou que “os 71 quilômetros de vias eletrificadas do metrô do Recife possuem muros que passam por vistorias e reparos periodicamente, inclusive para reparos de vandalismo”.

A CBTU também afirmou que representantes da assistência social foram ao Hospital da Restauração prestar apoio aos parentes e que “procedimentos internos foram instaurados para investigação das causas do acidente”.

Na tarde desta segunda-feira (18), parentes e vizinhos de Kemilly fizeram um protesto perto da Estação Central do Recife, pedindo providências sobre o caso. A CBTU recebeu uma comissão formada pelo pai da menina e mais dois representantes da comunidade.

No domingo (17), uma tábua foi colocada para tapar o buraco deixado pela placa. Ao lado da estrutura que caiu, é possível ver outras placas deterioradas, com ferros à mostra, apesar do que relatou a companhia.

A família da menina mora na comunidade do Papelão, que fica no bairro do Coque. O projeto do qual Kemilly participa atende 120 famílias em situação de vulnerabilidade social. O Coque é o bairro do Recife com o pior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da cidade, com 57% dos moradores vivendo com renda mensal entre R$ 130 e R$ 260.

Na região, são poucos os espaços de lazer disponíveis para as crianças. Por isso, segundo os responsáveis pela ONG Mão Amiga, a festa foi realizada na Avenida Central, em frente ao muro do metrô, que corta a comunidade.

TELEFONES

(87) 3873 1857

(87) 9 9642-7899

[email protected]

BR 316, KM 21,7 – S/N, Vila Conceição — Araripina – PE