‘Duas famílias perderam seus pais’, lamenta Lula sobre briga política no Paraná

Brazilian presidential pre-candidate for the leftist Workers Party (PT), former president (2003-2010) Luiz Inacio Lula da Silva, speaks to supporters during a political rally as part of his campaign for the Brazilian presidency at the Cinelandia square, Rio de Janeiro, Brazil, on July 7, 2022. (Photo by MAURO PIMENTEL / AFP)
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on google
Share on twitter
O ex-presidente e pré-candidato ao Planalto Luiz Inácio Lula da Silva (PT) lamentou a briga política que terminou com a morte do líder do PT em Foz do Iguaçu Marcelo Arruda e do policial penal Jorge Jose da Rocha Guaranho, que seria apoiador do presidente Jair Bolsonaro (PL), na madrugada deste domingo (10).

Pelo Twitter, Lula disse que Arruda estava comemorando o aniversário de 50 anos quando “uma pessoa, por intolerância, ameaçou e depois atirou nele, que se defendeu e evitou uma tragédia maior”. O ex-presidente destacou que, devido à briga, “duas famílias perderam seus pais”. “Filhos ficaram órfãos, inclusive os do agressor.”

Lula ainda pediu compressão e solidariedade com os familiares de José da Rocha Guaranho, que segundo ele, perdeu a vida devido a um “discurso de ódio estimulado por um presidente irresponsável”. “Pelos relatos que tenho, Guaranho não ouviu os apelos de sua família para que seguisse com a sua vida. Precisamos de democracia, diálogo, tolerância e paz”, finalizou.
O crime 
Os dois teriam discutido depois que Jorge Jose da Rocha Guaranho invadiu a festa de aniversário de Arruda, que tinha como tema o PT e o ex-presidente Lula. Na discussão, num estacionamento próximo ao local, Marcelo reagiu à abordagem de Jorge Jose e os dois acabaram mortos a tiros. Ambos tinham porte de arma por serem policial penal e guarda municipal, respectivamente. A Polícia Civil investiga o caso.

TELEFONE

(87) 9667-7054

[email protected]

Av. Antônio Pedro da Silva, 917 – Centro, Ouricuri – PE, 56200-000