Caso Beatriz: suspeito de matar menina é transferido de prisão no interior para cela com seguranças em presídio no Grande Recife Marcelo da Silva, que confessou ter assassinado a criança em 2015, cumpria pena por estupro em Salgueiro, no Sertão. Ele foi transferido para o Cotel, de onde seguiu para o Presídio de Igarassu.

271815433_4131765523593126_6300842885982413630_n
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on google
Share on twitter

O homem suspeito de ter matado a facadas a menina Beatriz Angélica, numa escola particular em Petrolina, em 2015, foi transferido para uma cela com segurança no Presídio de Igarassu, no Grande Recife, na quinta-feira (13). Desde 2017, Marcelo da Silva, de 40 anos, estava preso na Unidade Prisional de Salgueiro, no Sertão, por outros crimes

Às 15h da quinta-feira (13), ocorreu uma nova transferência, ele foi levado para o Presídio de Igarassu. O suspeito foi colocado numa “cela disciplina”, que está sob a vigilância de dois agentes do Grupo de Operações e Segurança, subordinado à Seres.

A análise foi feita por peritos após a inserção do DNA contido na faca, mais de cinco anos depois do crime, que foi compatível com o DNA de Marcelo da Silva, que já estava no banco genético do estado desde 2019, quando foi feito um mapeamento de criminosos condenados.

Beatriz Angélica Mota foi morta a facadas — Foto: Reprodução/WhatsApp

Beatriz Angélica Mota foi morta a facadas — Foto: Reprodução/WhatsApp

A ex-gerente da Polícia Científica, Sandra Santos chefiou a corporação durante sete anos e saiu do cargo dias antes do anúncio da descoberta da autoria do crime. Ela disse que o DNA existente na faca só pode entrar no banco genético do estado após um aprimoramento tecnológico do material, já que, na época do crime, o estado não tinha a estrutura necessária.

De acordo com a Secretaria de Defesa Social de Pernambuco (SDS), Marcelo da Silva contou, em depoimento, que entrou no Colégio Nossa Senhora Auxiliadora para conseguir dinheiro. Ele, que era morador de rua, usava uma faca para se defender.

TELEFONE

(87) 9667-7054

[email protected]

Av. Antônio Pedro da Silva, 917 – Centro, Ouricuri – PE, 56200-000